Portal de Notícias Jornal Aviação
Tecnologia

CIOs da aviação impulsionam investimentos em tecnologias digitais para atender retomada do setor

O último relatório Transporte Aéreo – Insights em TI – 2022, da SITA, revela um processo de digitalização acelerado para auxiliar as companhias aéreas e os aeroportos atenderem à crescente demanda de passageiros

Diante do aumento de interrupções, acúmulo de bagagens e carência de funcionários, aeroportos e companhias aéreas estão ampliando seus investimentos em tecnologia para digitalizar suas operações e agilizar a jornada dos passageiros, oferecendo mais opções de autoatendimento.

O relatório Transporte Aéreo – Insights em TI – 2022 (2022 Air Transport IT Insights, em inglês), da SITA, publicado hoje (31/01), revela que, com a recuperação pós-pandemia, os CIOs das empresas da área querem garantir operações ágeis, resilientes e eficientes, focando em soluções de TI para impulsionar o setor. Isso vem estimulando a aceleração da digitalização, com companhias aéreas e aeroportos buscando soluções-chave em tecnologia para fortalecer seus procedimentos contra interrupções, ao mesmo tempo em que automatizam a experiência dos passageiros.

A expectativa é que os investimentos em TI continuem com uma tendência de crescimento constante ano a ano, que vem sendo observada desde 2020, para suportar o avanço da digitalização. Com isso, 96% das companhias aéreas e 93% dos aeroportos planejam que as despesas com TI permaneçam as mesmas ou aumentem em 2023, em comparação com 2022. No ano passado, os gastos das empresas e dos aeroportos com essas tecnologias aumentaram para aproximadamente US$ 37 bilhões e US$ 6,8 bilhões, respectivamente.

“As viagens se recuperaram da pandemia mais rapidamente do que, inicialmente, qualquer profissional da área pudesse esperar, especialmente na Europa e nos EUA. Embora a retomada seja bem-vinda, aeroportos e companhias aéreas se depararam com alguns desafios: falta de colaboradores e de recursos. Este cenário gerou preocupação com as operações, resultando em um risco maior de superlotação, atrasos, cancelamentos e bagagens extraviadas. A digitalização é vista como a chave para enfrentar essas adversidades, proporcionando mais escalabilidade e flexibilidade”, ressalta David Lavorel, CEO da SITA.

Digitalizar operações para alcançar mais com menos

As companhias aéreas estão dando uma grande ênfase às ferramentas de TI, as quais gerenciam procedimentos irregulares e proporcionam a melhor experiência possível aos passageiros, mesmo em meio à carência de profissionais. Nos próximos três anos, 90% ou mais das aéreas investirão no aprimoramento do gerenciamento de serviços de TI e em sistemas de aviso de interrupção, além de iniciativas de inteligência de negócios para o monitoramento da rotatividade de aeronaves e processamento de passageiros e bagagens.

As soluções de inteligência de negócios também estão no topo das prioridades de investimento em TI para os aeroportos, com 93% ou mais planejando o uso dessas soluções para a gestão de ativos e operações de voo até 2025. A ênfase na agilidade, incluindo situações de interrupção, e comunicação imediata com clientes e stakeholders é evidente. Até 2025, metade dos aeroportos buscarão implementar alertas preventivos automatizados antes dos eventos de cancelamento de voos, além das iniciativas de inteligência de negócios que permitirão o escalonamento das operações com base na demanda.